Portal RH Velti

Artigos e Materiais Educativos para RH

Certamente muitas empresas ficam em dúvida sobre qual é a melhor escolha para o controle da jornada de trabalho. Ou então, ficam inseguras em adquirir um produto sem antes ter mais informação sobre ele. Por isso, no texto de hoje mostraremos as principais diferenças entre os dois principais tipos de controle de jornada. São eles: o relógio ponto biométrico e os aplicativos.  

Além disso, nós também falaremos sobre quais são as principais vantagens e desvantagens de cada um. Dessa forma, você poderá avaliar qual melhor atende a necessidade da sua empresa. Confira! 

Relógio ponto biométrico 

O controle biométrico de ponto usa o já conhecido relógio de ponto, também chamado REP, para identificar o funcionário por meio de características únicas do indivíduo. O reconhecimento por impressão digital é o mais comum, mas há empresas que utilizam o reconhecimento facial 

Em primeiro lugar, o relógio ponto biométrico é ideal para equipes cujo regime de trabalho é presencial. Uma das vantagem desse método é que ele é imune a fraudes e garante a identidade e a autenticidade de quem registra o ponto.  

Então, uma vez marcado, o registro biométrico não pode ser alterado nem excluído. Em outras palavras, é garantia de transparência para a empresa e para o funcionário. 

Outro benefício é a simplicidade. Isso porque o controle biométrico dispensa o uso de senhas, de cartões ou qualquer outro objeto para registrar o ponto. Dessa forma, evita transtornos e gastos extras em caso de esquecimento ou extravio. Além disso, centraliza tudo em um único equipamento. Isso facilita a manutenção e a administração. 

Porém, a principal vantagem ainda é a questão jurídica. O REP é a forma mais segura do ponto de vista jurídico porque elimina a possibilidade de questionamentos sobre as horas trabalhadas. Isso é possível desde que tenha todos os recursos e regras de segurança estabelecidas pelo Ministério do Trabalho (MTE) e seja homologado pelo Inmetro.  

Ao contrário de outros dispositivos, o relógio de ponto possui recursos como MRP (Memória Registro Permanente) e porta fiscal gerando AFD (Arquivo Fonte de Dados). Recursos que os outros meios não possuem e podem ser uma “brecha” para questionamentos. 

Todavia, o ponto negativo desta solução é para equipes remotas que necessitam registar a marcação. Explicamos mais no tópico abaixo: 

Software e Aplicativo 

Esse tipo de controle de ponto remoto é regulamentado desde 2011 pela portaria 373 do MTE. Pode ser a solução perfeita para equipes que trabalham de forma remota, em regime híbrido ou que viajam a trabalho com frequência. 

Nesse caso, o colaborador acessa uma plataforma online para registrar a sua jornada de trabalho de qualquer lugar que esteja. Para facilitar ainda mais, é possível baixar um aplicativo e fazer o registro diretamente do próprio celular. 

Sua principal vantagem é a flexibilidade. Com isso, cada empresa ou gestor pode adequar os parâmetros para dar mais ou menos maleabilidade na sua jornada de trabalho. Outro diferencial é que ele permite ao gestor acompanhar tudo em tempo real. Além disso, também é possível exportar relatórios com muita facilidade. 

Para impedir fraudes e falsificações, o sistema registra o IP da rede e o dispositivo em que o ponto foi registrado. E então, os dados ficam armazenados em nuvem e são protegidos por criptografia. Com isso, é possível garantir a segurança da informação. 

Por outro lado, essas soluções também têm um ponto negativo. Por mais que seja regulamentado pelo MTE, o AFD pode ser solicitado, questionado e até mesmo invalidado. Então, outras provas de comprovação das marcações podem ser necessárias. 

Também é importante atentar para outra questão. Antes que esse sistema de marcação de ponto seja adotado, é necessário que a empresa faça um acordo com os sindicatos. 

Conclusão 

Agora você já conhece os diferenciais de cada método. Então, analise qual melhor se encaixa na necessidade da sua empresa. O importante é deixar o controle manual de jornada de lado o quanto antes.  

O registro manual já não se adequa mais ao dia a dia das empresas. Não garante a proteção de dados agora prevista em lei e são suscetíveis à fraudes. E, por isso mesmo, podem ser contestadas judicialmente, representando risco de que haja prejuízo financeiro. 

Independentemente de qual opção você escolher, quando for implementar o controle automatizado de jornada, fale com a Velti. Nós temos a solução ideal para a sua empresa. Acesse nosso site e conheça todas as soluções. 

Leia também: