Portal RH Velti

Artigos e Materiais Educativos para RH

É inegável a relevância dos negócios familiares para a economia e o desenvolvimento do país. Segundo os últimos dados do IBGE, levantados em 2018, as empresas familiares compõem 90% dos negócios no Brasil. Além disso, juntas elas representam 65% do PIB e empregam 75% da força de trabalho nacional. 

Porém, o mesmo estudo que corrobora a importância dos empreendimentos familiares também aponta um índice alarmante: apenas 5% dessas empresas resistem até a terceira geração. E o pior: 70% delas fecham ainda na primeira geração. De 2016 a 2019, por exemplo, mais de 300 mil negócios familiares foram encerrados.

As dificuldades na gestão de empresas familiares

Em primeiro lugar, a gestão de uma empresa familiar é um terreno delicado. Ainda mais porque envolve fortes laços afetivos. Então conflitos entre os interesses da família e os da empresa são comuns. E, nesses casos, há o risco de a busca pela satisfação própria se sobrepor aos ideais organizacionais.

Outro grande desafio é a sucessão familiar. Como esse momento de ruptura e de novas ideias e concepções tira a empresa do seu ambiente de conforto, pode gerar conflitos internos. E caso eles não sejam resolvidos, logo vão afetar os negócios. 

Com isso, muitas acabam encerrando suas atividades no decorrer da troca de comando. Principalmente quando falta um planejamento adequado. A carência de planejamento pode, inclusive, levar a uma sucessão forçada. Seja por alguma situação inesperada com membros da família, pela necessidade de reestruturação ou por dificuldades financeiras.

Simultaneamente, outras barreiras comuns em empresas familiares são a falta de conhecimento gerencial, de capital de giro e de mão de obra especializada, além das deficiências na gestão financeira. Mas como agir diante desses desafios?

Cinco passos para profissionalizar

  • Defina os limites entre os interesses da família e os interesses da empresa

Quais são a missão, a visão e os valores do negócio? A empresa foi constituída com um determinado fim e é guiada sob determinados princípios que devem estar claro para todos os colaboradores, sejam eles da família ou não, e implícitos em todos os processos. Cada pessoa na empresa deve saber a razão pela qual trabalha.

  • Defina a política de distribuição de lucros e crie uma estrutura hierárquica 

Combinar e documentar quanto cada um ganhará evita desentendimentos entre os familiares e garante transparência aos negócios. Então, futuramente, se a empresa vier a ter investidores e acionistas, eles poderão receber os dividendos sem que seja necessário envolver-se diretamente na administração. Além disso, mapeie cada cargo, função e atividades a desempenhar, bem como as competências mínimas necessárias para desenvolvê-las e a remuneração de acordo com o mercado. Não é necessário tirar familiares de cargos, porém é necessário garantir que cada pessoa está realmente apta para desempenhar a sua função e tomar as melhores decisões para a sua área.

  • Faça o planejamento estratégico do negócio

Assim como em outras empresas, a gestão de negócios familiares se baseia nos mesmos conceitos da administração geral. Por isso, o planejamento, a organização, a direção e o controle são imprescindíveis para garantir a sua longevidade.

O planejamento estratégico é a mais importante ferramenta de gestão da empresa familiar. Pois a partir dele é possível construir uma visão de futuro compartilhado. E com isso, atravessar gerações e lançar as bases para um futuro sustentável.

Dica: metodologias como matriz S.W.O.T. e Business Model Canvas são de grande ajuda no processo de construção de um bom planejamento. Pesquise sobre elas, caso não conheça. 

  • Planeje a sucessão

A sucessão é sempre um momento delicado, mas isso se intensifica quando se trata de empresas familiares. Muitas das empresas familiares acabam encerrando as suas atividades ao longo do processo de sucessão. Por isso, é importante considerar com bastante antecedência quem sucederá a gestão e treinar adequadamente essa pessoa para exercer o poder de decisão.

Há diversos caminhos possíveis para a sucessão. Empresas familiares de sucesso, como a Votorantim e a Imaginarium por exemplo, conseguiram lidar com a questão da sucessão de formas diferentes. A primeira segue sob comando familiar e está na 4ª geração de liderança. A segunda optou por passar o bastão a gestores do mercado e manteve a 2ª geração da família à frente do Marketing da organização.

  • Invista em tecnologia

A tecnologia contribui diretamente para o aumento da produtividade e da eficiência em empresas de todos os tamanhos e de qualquer setor. Adotar tecnologias que permitam automatizar os processos rotineiros torna as atividades mais ágeis e os resultados mais confiáveis, uma vez que a automação diminui a ocorrência de erros.

Nas empresas familiares, a desorganização dos fluxos de trabalho e a falta de controle formal é um problema recorrente. E pode acarretar, além de perda de eficiência, em prejuízos financeiros e demandas legais.

Por isso, use a tecnologia a favor da sustentabilidade da sua empresa. Invista em sistemas de gerenciamento financeiro, de controle de produção e estoque e, claro, em tecnologias de gestão de pessoas. Afinal, são elas que vão levar adiante o sonho da sua família.

Neste artigo, falamos sobre tudo que pode ser automatizado no RH de uma empresa. Confira!

Veja também: